Odebrecht Transport

Desempenho
Econômico-Financeiro

Em 2016, a Odebrecht TransPort registrou um aumento de 3,72% no Ebitda e um recuo no faturamento de 11,35%, de R$ 2,2 bilhões para R$ 1,9 bilhão. Os resultados foram obtidos a despeito da não liberação de financiamentos de longo prazo para os principais projetos da empresa e da retração econômica doméstica, com redução de tráfego nas rodovias concessionadas, queda no número de passageiros aeroportuários e redução de movimentação de carga nos terminais portuários e aeroportuários. O resultado operacional positivo foi impactado por esses fatores que provocaram um ajuste de natureza contábil nos valores dos investimentos detidos pela Odebrecht TransPort, sendo o prejuízo de R$1,1 bilhão no período.

Ebtida

A geração de caixa, expressa pelo Ebitda (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização), totalizou R$ 837 milhões, aumento de 3,72% em comparação a 2015. O segmento de rodovias responde pela maior participação.



EBTIDA (milhões de R$)

Receita Bruta*

A receita bruta consolidada da Odebrecht TransPort somou R$ 2,9 bilhões em 2016, recuo de 40% em relação ao ano anterior.

Os segmentos de rodovias e mobilidade urbana tiveram os resultados mais relevantes em receita bruta: juntos somam 80% do volume total.



Receita bruta (milhões de R$)

* Informações referentes às holdings Odebrecht TransPort, Odebrecht Rodovias e Odebrecht Mobilidade e às empresas controladas: Rota das Bandeiras, RIOgaleão (até abril), Liquiport, Agrovia do Nordeste, SuperVia, VLT Goiânia, Rota dos Coqueiros, Rota do Oeste.

Resultado líquido

O resultado líquido do ano foi negativo de R$ 1.064 milhões, próximo ao registrado em 2015.



Resultado líquido (milhões de R$)

Demonstração do Valor Adicionado

O valor adicionado, que retrata a produção e distribuição da riqueza promovida pela atividade empresarial, totalizou R$ 496 milhões em 2016, comparativamente a R$ 315 milhões no ano anterior. O valor que foi distribuído aos Integrantes, por meio do pagamento de salários e benefícios foi de R$ 345 milhões; governo e sociedade receberam R$ 204 milhões, como impostos e contribuições. Os Acionistas registraram prejuízo de R$ 1 bilhão.

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO (R$ MIL)20162015
Receitas2.913.7635.021.354
Insumos adquiridos de terceiros(1.457.971)(3.409.444)
Valor adicionado bruto1.455.7921.611.910
Depreciação e amortização(189.317)(172.144)
Valor adicionado líquido produzido pela entidade1.266.4751.439.766
Valor adicionado recebido em transferência(770.163)(1.124.496)
Participação em controladas e coligadas(741.015)(66.224)
Disponível para venda(205.524)(1.334.183)
Receitas financeiras171.906275.223
Outras4.470688
Valor adicionado total a distribuir496.312315.270
Demonstração do valor adicionado
Pessoal345.685406.982
Remuneração direta227.419275.091
Benefícios99.411112.583
FGTS18.85519.308
Impostos, taxas e contribuições204.279228.863
Federais142.551165.322
Estaduais1.3841.018
Municipais58.58660.968
Outros1.7581.555
Remuneração de capitais de terceiros1.031.6361.077.472
Juros955.3591.044.030
Aluguéis14.86915.406
Outros61.40818.036
Remuneração de capitais próprios(1.085.288)(1.398.047)
Lucro (prejuízo) do exercício retido(1.063.911)(1.118.373)
Participação dos não controladores(21.377)(898)
Participação dos não controladores nos ativos mantidos para negociação(278.776)
Valor adicionado distribuído496.312315.270